4 exercícios de empatia para ter uma equipe alinhada

Exercícios de empatia

A empatia é uma das habilidades sociais mais importantes em um ambiente de trabalho. Assim como outras características humanas, é formada por mais de uma dimensão: cognitiva, afetiva e comportamental. Veja como atingir cada um desses níveis com sua equipe por meio destes quatro exercícios de empatia que selecionamos!

1. Interpretar pensamentos, sentimentos e ações

Identificar nossas reações diante de pessoas e situações é um dos exercícios de empatia que precisam ser colocados em prática.

A forma pela qual interpretamos o outro é um reflexo direto dos nossos próprios pensamentos. Contudo, o que poucas pessoas fazem é admitir que a sua interpretação nem sempre é correta.

O que ocorre é que, sem um olhar crítico para as próprias crenças e julgamentos, dificilmente se alcançarão as condições para promover mudanças mais profundas em relação ao outro.

Logo, os líderes de equipes precisam trabalhar essa autocrítica para que cada membro desenvolva a capacidade de entender o outro — ou pelo menos fazer o esforço de entender — a partir de um olhar mais próximo daquela realidade.

2. Desenvolver preocupação com o outro

A fim de avançar para os aspectos afetivos, é necessário incentivar na equipe uma preocupação mútua, gerando um sentimento de interdependência em que o sucesso do outro é também importante, não só o próprio.

Nesse ponto, os laços informais, os vínculos e as afinidades facilitam o desenvolvimento dessa característica. Aqui entra também o desenvolvimento de sentimentos como solidariedade, gentileza, compaixão, amizade, admiração etc.

3. Expressar sua preocupação

Uma pessoa consciente das próprias falhas não apontará o dedo para o erro de outra, assim como alguém que desenvolva afeto por integrantes do grupo não se beneficiará de falhas alheias para se destacar.

O aspecto comportamental é a representação concreta da empatia, sendo uma parte ativa do processo.

A ética é um fator importante que precisa ser destacado nesse processo, pois o desenvolvimento da preocupação verdadeira depende de uma atitude honesta consigo mesmo, não sendo algo forçado ou imposto por convenções sociais. Veja a citação do filósofo Mário Sergio Cortella:

Ética é o conjunto de valores e princípios que nós usamos para decidir as três grandes questões da vida: Quero? Devo? Posso?

Tem coisa que eu quero mas não devo, tem coisa que eu devo mas não posso e tem coisa que eu posso mas não quero.

4. Receber a resposta do outro

Da mesma forma que há essa parte ativa entre os exercícios de empatia, existe também um momento passivo cuja principal característica é a capacidade de colocar a outra pessoa em primeiro lugar quando necessário.

Saber escutar sem interromper é um exemplo dessa situação. É também exemplo disso a capacidade de ajudar a outra pessoa com aquilo de que ela precisa, e não com o que você quer dar.

Esse ponto é crucial em todas as relações, sendo também um dos mais difíceis de se ver. No entanto, quando presente, ocorre um grau altíssimo de sinergia entre as pessoas, fortalecendo o espírito de grupo e potencializando sentimentos como confiança e pertencimento.

Já pensou no quanto a empatia faz diferença nas suas relações? Compartilhe este conteúdo com a sua rede de amigos e multiplique esse conhecimento!